Flavio Maluf noticia sobre a atualização do IOS 9 do iPhone

Os aparelhos iPhone devem ser atualizados para não incorrer falhas ao utilizá-lo. Sendo assim, é importante mantê-lo em bom funcionamento, porém muitos reclamam que, após a atualização, o aparelho fica lento. É sobre isso que Flavio Maluf informa aos usuários a respeito da atualização do IOS 9 do iPhone.

ios-9

A Apple procura sempre manter seus usuários satisfeitos na medida do possível. Embora seja um tanto desafiador, pois cada um possui distintas necessidades, a empresa tenta amenizar as falhas corrigindo com atualizações objetivando a melhoria no manuseio dos programas e aplicativos.

O objetivo fundamental com a nova versão do IOS 9 do iPhone é fazer com que o aparelho fique mais ágil, gerando rapidez ao usá-lo e proporcionando qualidade em tudo. Sendo assim, é possível verificar dois pontos centrais com essa atualização, comenta Flavio Maluf, que são:

1. Mais autonomia
2. Exige menos espaço livre

O aparelho ficará lento ou não?

A dúvida de muitos usuários é em relação se o aparelho, após atualizar para o IOS 9, ficará lento ou não. É sabido que as atualizações acabam por deixar o sistema lento bem como os programas e apps, mas é o que a Apple tenta diminuir e tem trabalhado para esse fim, informa Flavio Maluf.

É preciso entender três causas do por que o aparelho fica lento após atualizar para uma nova versão, descreve Flavio Maluf:

  1. Os aparelhos possuem recursos antigos que, muitas vezes, são incompatíveis com as novas tecnologias;
  2. Também possuem recursos limitados dificultando a entrada de novas informações;
  3. Os novos recursos de atualizações consomem mais memória e processamento.

Por essas razões, é normal que depois de atualizar o IOS 9 do iPhone, o aparelho apresente falhas, erros e fique bem mais lento.

A boa notícia é que a Apple dispõe de correções para quaisquer falhas a seus usuários. É só entrar no site para baixar essa correção, informa Flavio Maluf.

Novidades ao atualizar o IOS 9 do iPhone

Flavio Maluf descreve as novidades para quem vai atualizar o novo sistema da Apple, o IOS 9 do iPhone:

  • Exigência de apenas 1,3 GB livre para atualizar (bem menor que o anterior IOS 8 que exigia 4,58 GB);
  • Modo de baixo consumo e a luz não mais acende ao receber notificações oferecendo maior autonomia no aparelho;
  • App Notas permite incluir links, mapas, fotos e desenhar com o dedo podendo salvar em iCloud para posterior acesso em qualquer dispositivo;
  • O app Mapas traz novidades com a opção de Transporte Público que oferece as linhas de metrô, trem, balsas e ônibus para acesso fácil;
  • Tecnologia 3D Touch – detecta a intensidade ao manusear uma tarefa a outra na tela;
  • Oferece a opção de “Mude para IOS”, caso o usuário tenha o sistema Android e queira mudar para o IOS sem a necessidade de fios, cabos. Permite transferir dados de forma segura como contatos, histórico de mensagens, vídeos, fotos, calendários, entre outras;
  • É possível baixar apps de rede social facilmente como o facebook e twitter.

As vantagens e desvantagens dos ‘apps’, analisa Flavio Maluf

Pode-se considerar que, para cada necessidade do ser humano atualmente, existe um aplicativo que torna a vida da pessoa mais fácil. E se não existe, com certeza tem alguém pensando em desenvolver. A tendência para o futuro é terceirizar cada vez mais essas tarefas fáceis e operacionais que tomam o tempo das pessoas e mecanizá-las por meio de ferramentas tecnológicas. E ao ser humano cabe, então, o exercício intelectual e subjetivo.

Veja a opinião do empresário brasileiro Flavio Maluf, que está antenado às tendências de tecnologia que afetam o mundo corporativo no Brasil e no mundo:

apps-flavio-maluf

Vantagens

Os aplicativos podem fornecer vários benefícios às pessoas e proporciona principalmente a integração e comunicação entre as pessoas do mundo todo e a agilidade e praticidade na hora de realizar tarefas diárias, cita Flavio Maluf.

Eles permitem o acesso rápido a um produto ou serviço e acabam se destacando pela economia de tempo, que é muito valioso atualmente. Quando o aplicativo é fácil de entender e sua navegação é simples, proporciona ao usuário uma melhor experiência e praticidade. O tráfego de dados pelos aplicativos também é menor se comparado à utilização dos navegadores para acesso à internet, o que pode resultar, ainda, em economia de dinheiro.

Existem apps criados exclusivamente para proporcionar melhorias e/ou adaptações em outros aplicativos. Um grande exemplo informado por Flavio Maluf é o Instasize, aplicativo que aplica bordas nas fotos evitando que elas sejam cortadas ao serem publicadas no Instagram.

Alguns aplicativos como os jogos e os organizadores de tarefas diárias podem continuar rodando mesmo sem acesso à internet, o que é visto com bons olhos por quem não pretende ficar o dia todo conectado à rede.

As redes sociais ganham muito espaço e estão entre os aplicativos mais acessados no mundo todo, reportou Flavio Maluf. Elas promovem a interação e comunicação entre as bilhões de pessoas que tem acesso à internet e, muitas vezes, a aproximação (mesmo que virtual) entre pessoas que moram longe umas das outras.

Há muitos aplicativos de jogos, notícias, de lojas de roupas, calçados, mais do que se pode imaginar. Existem aplicativos que fazem muitas coisas que nem se imagina, desde os que formatam trabalhos acadêmicos até os aplicativos que ajudam a fazer aplicativos ou os que ajudam a descobrir se a melancia está madura ou não.

Desvantagens

Uma desvantagem ou ponto negativo dos aplicativos mobile é ter que efetuar a instalação das constantes atualizações do app a cada vez que sua estrutura ou conteúdo são modificados, ressalta Flavio Maluf. Porém, as atualizações visam apenas o aprimoramento do app e uma melhor experiência de uso para o quem o utiliza.

Outro empecilho é a existência de sistemas operacionais diferentes para os smartphones disponíveis no mercado (como o Android, IOS, Blackberry, etc.), o que faz com que alguns aplicativos não funcionem em um ou outro aparelho, devido à falta de adaptação a determinado sistema operacional.

No mundo dos negócios

No mundo empresarial, Flavio Maluf também fala que os aplicativos móveis são muito úteis. Os clientes estão cada vez mais adeptos às tecnologias e as empresas que não se adaptarem a esta nova realidade correm o risco de perder espaço e competitividade no mercado.

O número de clientes que procura informações sobre um produto ou serviço online é considerável e a quantidade compras via internet vem aumentando a cada ano, reportou Flavio Maluf. Portanto, se um negócio estiver online por meio de um aplicativo, por exemplo, ele estará disponível para o mundo todo, para bilhões de pessoas. A dimensão de abrangência do negócio é muito grande, portanto, a empresa tem a oportunidade de prospectar e fidelizar mais clientes, além de aumentar consideravelmente o volume de vendas da empresa.

Um aplicativo vai além de uma “versão móvel” para a empresa. Flavo Maluf falou que existem empresas que se dão bem apenas pela internet, sem precisar de espaço físico para o seu negócio. E é fato que uma empresa que tem aplicativos e que está presente no mundo digital inspira confiança e credibilidade ao cliente. Além de tudo isso, o produto ou serviço também ficará disponível aos seus clientes 24 horas por dia.

Os aplicativos também podem emitir notificações “push”, que são aquelas que aparecem na tela inicial do smartphone. Essas notificações normalmente são visualizadas por cerca de 97% dos usuários, o que é um número considerável comparando ao número de visualizações de e-mails marketing, por exemplo, cuja taxa de leitura não chega a 5%.

Flavio Maluf noticiou que segundo um estudo realizado IDC Brasil, uma empresa do ramo tecnológico, o número de smartphones vendidos no primeiro trimestre 2015 ultrapassou a marca dos 14 milhões, registrando uma comercialização 33% maior comparada ao mesmo período no ano passado.

Caso se interesse em desenvolver um aplicativo para o seu negócio, o empreendedor precisa estar ciente de que o programa deve ser desenvolvido com responsabilidade e, acima de tudo, conhecimento. Flavio Maluf ressalta que ter um aplicativo ruim é pior do que não ter nenhum, então, é preciso atentar para que ele tenha uma boa interação, funcionalidade, agilidade e design. Ele precisa ter uma navegação simples, fácil e rápida para conquistar o usuário e proporcionar um bom resultado. Outro cuidado que se deve ter ao desenvolver um aplicativo é com relação às informações, pois é imprescindível que o cliente tenha os dados do produto ou serviço disponíveis, caso contrário, ele optará por outra empresa, na maioria das vezes.

Em suma, pode-se afirmar que, atualmente, os aparelhos smartphone são uma parte da vida das pessoas e os aplicativos são importantes mediadores das relações entre estas e o mundo digital, que vem amadurecendo há um bom tempo. Os apps de hoje em dia realizam tarefas com autonomia, proporcionam entretenimento, informações, conhecimento e interação. Eles comportam tudo o que interessa às pessoas: relações, entretenimento, informações, consumo, facilidades, economia de tempo. Então é difícil não estabelecer uma relação de dependência com o mundo virtual, por mínima que seja. Mas essa dependência não se caracteriza necessariamente como ruim, uma vez que os aplicativos vêm para aprimorar a experiência de vida das pessoas e facilitar muitas coisas do dia a dia.

Pode-se perceber que, atualmente, é muito comum utilizar com confiabilidade e segurança os aplicativos móveis nos smartphones para acessar a conta bancária e realizar operações, ler notícias atualizadas, fazer compras, socializar com os amigos mesmo longe fisicamente. Flavio Maluf conclui reforçando o fato que existem aplicativos para cada tipo de coisa: viagens, música, alimentação, exercícios físicos, sexo e relacionamentos, trânsito, saúde, finanças, etc.