Flavio Maluf revela as perguntas feitas por grandes executivos em entrevistas de emprego

entrevista

Em tempos de crise e previsões para lá de pessimistas quanto às taxas de desemprego, é imprescindível para todo profissional ficar atento a como se comportar em uma entrevista de emprego, explica Flavio Maluf. Com o grande aumento do acesso da população às universidades um curso de graduação já não é suficiente para garantir uma boa vaga no mercado de trabalho. Às vezes, nem mesmo um currículo recheado de cursos, como MBA, pós-graduação e etc, não é o bastante.

Hoje, muitas empresas estão procurando profissionais que possuem qualidades além daquelas demonstradas nos seus títulos e cursos. Qualidades estas que são adquiridas ao longo da experiência profissional e pessoal de cada um. Por isso, Flavio Maluf separou uma série de perguntas famosas que alguns dos grandes executivos do mundo coorporativo costumam fazer para seus candidatos em entrevistas de emprego.

Se daqui a um ano estivermos aqui comemorando o bom desempenho da empresa, o que teremos atingido juntos?

Esta é uma pergunta que costuma ser feita por Randy Garutti, CEO da Shake Shack, diz Flavio Maluf. O objetivo de tal questionamento é identificar se o profissional tem consciência do posto que almeja e, principalmente, se entende o papel da empresa no mercado.

Diga algo que seja verdade, mas que todos costumam discordar de você.

Segundo Flavio Maluf, este questionamento é frequentemente feito pelo fundador do PayPal, Peter Thiel, que gosta de contar na sua equipe com pessoas de personalidade forte e que não têm medo de falar o que pensam.

Com quantos anos você teve o seu primeiro trabalho remunerado?

Esta pergunta é feita frequentemente por Hannah Paramore, presidente da agência Paramore. Para ela, candidatos que iniciaram cedo no mercado de trabalho, especialmente se por necessidade, demonstram ter maior determinação e responsabilidade do que aqueles que começaram a trabalhar mais tarde.

O que você deixou de incluir no seu currículo?

É claro que um bom currículo é uma porta de entrada para boas entrevistas, mas para Richard Branson, o fundador do Virgin Group, é importante saber o que ficou de fora das qualidades descritas do currículo. Para o executivo, seria uma perda de tempo contratar alguém baseado somente no que a pessoa escreveu sobre ela mesma, cita Flavio Maluf.

Você já precisou resolver um problema complexo? Se sim, qual foi?

Essa é a pergunta costumeiramente feita pelo chefe de Recursos Humanos do Google, Laszlo Bock. Para ele é necessário saber das experiências pessoais de cada candidato e, ainda, entender como ele lida com os seus próprios problemas. Além disso, segundo Bock, a pergunta serve também para inferir o que o candidato à vaga entende por dificuldade.

Qual a sua frase favorita?

Por último, Flavio Maluf cita a pergunta usada muitas vezes por Karen Davis, vice-presidente da Hasbro. Para Davis, é importante não apenas conhecer as qualidades profissionais do candidato e os objetivos que ele possui sobre a sua carreira. Mas também, é necessário compreender a sua fonte de inspiração pessoal e que o move para atingir aquilo que almeja profissionalmente. Karen Davis diz não haver uma resposta certa para esta pergunta, desde que a resposta transmita o senso de paixão e propósito do candidato.

Fonte: Época Negócios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s