Números: Flavio Maluf fala sobre as exportações do agronegócio brasileiro

Somente nos primeiros oito meses de 2018 — ou seja, de janeiro a agosto — as exportações do agronegócio brasileiro chegaram a um faturamento de US$ 68,52 bilhões. Trata-se de uma alta de 4,7% em comparação com os primeiros oito meses de 2017, destaca o presidente das empresas Eucatex, o empresário e executivo Flavio Maluf. Os dados são da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), divulgados ainda em setembro, dia 14. Segundo a pasta, o aumento do volume exportado — que subiu 3,8% nos oito meses analisados — é o principal motivo da elevação nas receitas.

Já as importações no setor tiveram queda de 0,7% este ano, e totalizaram US$ 9,47 bilhões até agosto. Desta forma, entre janeiro e agosto de 2018, o saldo da balança comercial do agronegócio foi de US$ 59 bilhões.

O complexo soja

Flavio Maluf reporta que o principal segmento exportador do agronegócio brasileiro continua sendo o complexo soja, que é composto por três produtos: o grão, o farelo e o óleo. Entre janeiro e agosto de 2017, as exportações desses produtos somaram US$ 25,79 bilhões. Este ano, no mesmo período, elas passaram para US$ 31,25 bilhões — trata-se de uma alta de 21,2%. O grão foi o principal produto exportado nesse segmento, com vendas externas que chegaram a US$ 25,72 bilhões.

O aumento da quantidade exportada de soja em grão registrado do ano passado para este ano — analisado o período entre janeiro e agosto — foi de 7,7 milhões de toneladas. Ou seja, nos primeiros oito meses de 2017, foram exportadas 56,9 milhões de toneladas de grão de soja, e nos primeiros oito meses deste ano, esse número subiu para 64,6 milhões de toneladas. Conforme levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado em setembro, essa quantidade representa 54% das 119,3 milhões de toneladas colhidas na safra 2017/2018.

Já quanto às exportações do farelo de soja, os números chegaram a US$ 4,69 bilhões nos primeiros oitos meses de 2018. Trata-se também de um volume recorde de exportação do produto — com 11,8 milhões de toneladas. De acordo com as informações divulgadas pela SRI, foram esmagados em torno de 15 milhões de toneladas de grão para exportar os quase 12 milhões de toneladas de farelo, pontua Flavio Maluf.

Outras exportações

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento também salientou o desempenho das exportações de carne bovina. Conforme os dados do MAPA, foram registrados números recordes em agosto — a quantidade de carne bovina in natura comercializada no exterior chegou a 144,42 mil toneladas no mês. A China, com 33,3 mil toneladas, e Hong Kong, com 26,6 mil toneladas, foram os principais destinos da carne bovina in natura do Brasil.

O empresário e executivo Flavio Maluf ressalta, ainda, que outro produto que teve destaque entre os meses de janeiro a agosto de 2018 foi a celulose. Ela chegou a recordes de venda em termos de valor (US$ 5,63 bilhões em alta de 37,9%) e quantidade (10,3 milhões de toneladas em alta de 9,9%).

O mercado Chinês

O país da Ásia oriental representou quase 30% do valor total exportado pelo Brasil em produtos do agronegócio. Só para a China foram exportadas 50,9 milhões de toneladas de soja em grão, entre os meses de janeiro e agosto deste ano. Isso significa que somente a China adquiriu, nos oito meses, 42,7% da safra de soja em grão brasileira 2017/2018 — que foi de 119,3 milhões de toneladas, reporta Flavio Maluf. Ainda, o país também adquiriu 41,7% da quantidade total de celulose exportada pelo Brasil, e quase 20% da quantidade exportada de carne bovina in natura.

Somente no mês de agosto

Conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic), compilados pelo Ministério da Agricultura, e divulgados no dia 14 de setembro, as receitas do agronegócio brasileiro com as exportações cresceram 3,6% em agosto de 2018, em relação ao mesmo período do ano passado — o valor alcançado no mês foi de US$ 9.3 bilhões. As exportações do agronegócio em agosto representaram 41,5% de todas as vendas externas feitas pelo Brasil durante o intervalo em questão.

Já as importações no mês de agosto de 2018 registraram recuo 1,6% — US$ 1.1 bilhão — em comparação com o mesmo período de 2017. Desta maneira, o superávit do agronegócio ficou em US$ 8.2 bilhões — 5,1% mais que o que foi registrado em agosto do ano passado, reproduz o presidente da Eucatex, Flavio Maluf.

No que diz respeito aos itens mais exportados no último mês de agosto, o complexo soja foi um dos únicos que registrou crescimento em comparação com 2017 — ele apresentou uma alta de 43,4%, e foi para US$ 4 bilhões.  A subida no número é uma resposta à crescente demanda da China por esses produtos, visto que o país está em meio a uma guerra comercial com os Estados Unidos.

Vale salientar que apenas as exportações de soja em grão totalizaram US$ 3.2 bilhões — o valor é 43,7% maior que o de agosto de 2017. Flavio Maluf acentua que as vendas de farelo de soja também apresentaram melhora: subiram 46%, para US$ 621.8 milhões. Assim como as exportações de óleo de soja, que aumentaram 28,6%, para US$ 148 milhões.

Com exceção do complexo soja, quase todos os demais produtos de maior destaque na pauta exportadora do agronegócio brasileiro registraram queda no último mês de agosto, reforça e finaliza o empresário e executivo Flavio Maluf.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s