Apple: tecnologia que não pára de evoluir – por Flavio Maluf

Reconhecida mundialmente por ser umas das melhores e maiores empresas que atuam no mercado de tecnologia, a Apple não para de inovar e oferecer cada vez mais opções para os usuários de seus produtos. Quem nunca sonhou ter um Smartphone da Apple? Pergunta o empresário brasileiro Flavio Maluf. Ora, ele mesmo responde. Só já não o fez quem não conhece a marca ou não está “antenado” com o que o mercado tecnológico oferece de melhor. E mais, Smartphone foi apenas um exemplo, pois a “MAÇÔ também é marca referência em relação à tablets, televisores e relógios, além de seus computadores, os Macs, destaca Flavio Maluf. O que torna a empresa conhecida e reconhecida em muitas vertentes, tornando-a cada vez mais presente nas casas dos que procuram alta tecnologia e também nas empresas que buscam aparelhos confiáveis e capazes de corresponder às demandas de seus negócios.

20447.34229-apple
A cada novo evento que a empresa anuncia, os rumores sobre as novidades tomam conta do mundo da tecnologia. Os fãs e usuários da marca aguardam ansiosos para saberem quais as novidades. O último desses eventos aconteceu no dia 9 de setembro, em San Francisco, na Califórnia. E, como já era de se esperar, a Apple apresentou inovações que fizeram valer à pena toda a espera e a especulação.”
Diferentemente do que sempre fez na maioria de seus eventos anteriores, quando buscava dar mais evidência para um de seus produtos, desta vez a marca mostrou todo o seu potencial ao apresentar grandes inovações em vários deles. Para Flavio Maluf, alguns aparelhos merecem destaque especial em sua análise.

iPad Pro:

Certamente pode representar uma nova era no mundo da tecnologia, já que chega ao mercado com potencial para substituir o computador, pois deixa totalmente para trás o modelo anterior e se instala como um concorrente dos Macs, afirma Flavio Maluf. O tablet possui tela de alta definição de 12,9 polegadas, pesa apenas um quilo, tem processador A9X de 64 bits, 6,9 mm de espessura e autonomia de 10 horas. Com uma versão do Office, possibilidade de utilização de inúmeros aplicativos simultaneamente e mantendo os atalhos do Mac, ele torna-se uma grande ferramenta para fazer a marca dominar o segmento. Isso fica ainda mais claro com o esforço da Apple na busca de parcerias para desenvolver aplicativos e opções de rede para o aparelho, diz Flavio Maluf, que também dá ênfase para dois periféricos. O Smart Keyboard (capa com teclado integrado), e a Apple Pencil (caneta para desenhar na tela), que trás excelentes opções para desenhar, independentemente da habilidade de quem vai utilizá-la. Com todas essas alternativas, o iPad Pro não se limita mais a uma ferramenta feita com o objetivo de ser essencialmente uma mídia móvel e passa a ser um aparelho autônomo e que permite grande operosidade. Em relação ao aumento no preço, Flavio Maluf diz que é totalmente compreensível, afinal, aumentar a potencia e as possibilidades requer um investimento maior, o que consequentemente faz subir também o valor. O produto ficará disponível em Novembro nos Estados Unidos, custando US$ 799 para a versão com 32 GB e Wi-Fi, US$ 949 para a de 128 GB e Wi-Fi e US$ 1.076 para a de 128 GB e 4G. Enquanto que a Apple Pencil custará US$ 99 e a capa com teclado US$ 169.

Apple TV:

Com duas versões que chegarão ao mercado no final de outubro, uma de 32 GB que custará US$ 149 e uma de 64 GB no valor de US$ 199, a Apple quer entrar de vez na sala de estar. Tendo um sistema operacional próprio, fica evidente a intenção de obter êxito com os aplicativos. A interatividade também merece destaque, já que é possível buscar conteúdos e obter sugestões através do assistente de voz, que vai permitir uma minuciosa procura. Vale citar também o controle remoto, que além de ter uma bateria com duração de até três meses, também ganhou uma superfície sensível ao toque, possibilitando navegar pelas telas e ter uma excelente interação com os conteúdos. O Bluetooth 4.0 também representa mais uma inovação, já que será utilizado para o controlo remoto, permitindo fazer uso dele sem estar necessariamente apontando-o para a TV, o que não é nada além do que podemos esperar dos dias atuais e de uma empresa como a Apple, suscita Flavio.

Apple Watch:

O relógio inteligente também apresentou novidades consideráveis, principalmente em relação ao sistema operacional, o WatchOS 2, que potencializa de forma significativa o aparelho, já que torna mais simples a maneira de visualizar notícias na página principal, acompanhar como está o tempo, além de outras alternativas que facilitam o uso das diversas funcionalidades do relógio. Uma nova pulseira de couro marrom e outras opções de cores também certamente farão a cabeça, ou melhor, os pulsos dos usuários, brinca Flavio Maluf. A edição Sport é a que apresenta o preço mais acessível, a partir de US$ 349.

iPhone 6s e iPhone 6s Plus:

Com 4,7 polegadas, o iPhone 6s tem uma tela um pouco menor que seu irmão 6s Plus, que tem 5,5 polegadas. Uma das grandes novidades em relação aos iPhones é uma nova tecnologia chamada 3D Touch, já utilizada no Apple Watch e que significa um passo a mais na maneira de tocar na tela, já que além do simples toque em si, detecta a força exercida. Isso viabiliza a criação de atalhos para determinadas ações, graças a uma tela muito mais resistente que as utilizadas anteriormente pela marca e que eram alvo de algumas reclamações, lembra Flavio Maluf.

Além dessa nova tecnologia, também é fundamental dar destaque para o processador dos novos aparelhos, que é o A9X, mesmo usado no iPad Pro. Isso representa um aumento de 70% na potencia em relação ao iPhone 6, diz Flavio Maluf. Ambos têm o iOS 9 como sistema operacional. As câmeras também ganharam novidades consideráveis. A traseira passou a ter resolução de 12 MP, 50% melhor que a da versão anterior. Isso permitirá gravar vídeos com resolução 4K. Em relação à câmera frontal, que tem resolução de 5 MP, o destaque vai para um software que tem como objetivo ressaltar a cor natural da pele. Na hora de tirar fotos também há outra novidade, se trata do Live Photos, que grava alguns segundos de vídeo e áudio antes da captura, permitindo relembrar os acontecimentos nos instantes anteriores. Outra funcionalidade de grande utilidade, as pesquisas por voz são ativadas pelo comando “Hey, Siri”. Em relação aos valores, a Apple continua oferecendo os mesmos preços e modelos nos Estados Unidos. O iPhone de apenas 16 GB de memória continua sendo vendido por US$ 199 para o iPhone 6s e US$ 299 para o iPhone 6s Plus.
Flavio Maluf destaca que para ter uma noção real da grandeza da Apple basta ver a quantidade de iPhones comercializados apenas no primeiro final de semana de vendas. Foram nada menos que 13 milhões de unidades, o que representa um recorde. Flavio Maluf diz que o enorme sucesso de vendas foi considerado surpreendente até mesmo para os executivos da empresa. Tim Cook, CEO da marca, disse, “As vendas do iPhone 6s e iPhone 6s Plus têm sido fenomenais, atropelando quaisquer primeiros resultados de fim de semana passados na história da Apple. O feedback dos clientes é incrível e eles estão amando o 3D Touch e o Live Photos, e mal podemos esperar para levar os dois modelos para clientes em mais países no dia 9 de outubro”. Contudo, diz Flavio Maluf, esse anuncio feito no final da fala de Cook, que confirmou a chegada dos novos aparelhos para mais de 40 países, faz com que os brasileiros tenham que esperar por mais algum tempo, já que por aqui as novidades devem chegar apenas no final do ano.

brasileiro compra iphone 62

Contudo, Flavio Maluf lembra que a primeira pessoa no mundo a comprar um iPhone 6s Plus foi um brasileiro. Trata-se do estudante Vitor José da Cunha Epiphanio, de 18 anos. Ele está fazendo intercâmbio na Austrália e conseguiu ser o primeiro a adquirir o tão cobiçado aparelho, já que o país é sempre um dos primeiros a começar a vender iPhones. Entretanto, destaca Flavio Maluf, Vitor não era o primeiro da fila, mas conseguiu ser o primeiro a fazer a aquisição ao despertar a atenção da empresa por demonstrar ser um grande fã da Apple. Até Tim Cook deu destaque para o brasileiro ao divulgar a foto de Vitor com seu iPhone em sua conta no Twitter e agradecer ao jovem pela compra.

Para finalizar, Flavio Maluf diz que todas essas novidades apresentadas pela Apple, fazem-na se consolidar cada vez mais como uma empresa de grande nível no mundo da tecnologia, além de continuar aumentando a credibilidade da marca e despertando o interesse e o desejo de pessoas ao redor de todo o mundo de possuírem algum aparelho que tenha a maçã como logomarca. E como é de se esperar, certamente virão muitas outras novidades e inovações por aí, já que a empresa não para de fechar novas parcerias e se esforça para surpreender os seus fãs.

Espanha pretende aumentar investimentos no Brasil, observa Flavio Maluf

Em recente visita de quatro dias ao território brasileiro, o advogado e economista José Manuel García Margallo, Ministro de Relações Exteriores e Cooperação da Espanha, falou sobre as intenções comerciais de seu país no que tange ao Brasil.  Como informa o engenheiro Flavio Maluf, o representante do governo espanhol disse que pretende incentivar a presença de empresas de seu país em terras tupiniquins.

São diversas as empresas espanholas de grande porte que já estão operando por aqui – Deten Química, Repsol, CEG, Telefónica e Santander são alguns exemplos citados por Flavio Maluf – e a vinda de outras corporações desse gabarito seria vista com bons olhos pelo governo espanhol. Fontes afirmam que o Palácio da Moncloa enxerga um futuro bastante seguro para o Brasil e para a América Latina em geral.

Presidente da Eucatex, empresa brasileira cujas primeiras exportações para a Europa remontam ao ano de 1965, Flavio Maluf relata que, após ter sido recebido em Brasília (DF) por Michel Temer e Mauro Vieira, respectivamente Vice-Presidente e Ministro das Relações Exteriores do Brasil, García Margallo se reuniu em São Paulo (SP) e Salvador (BA) com diplomatas, empresários e jornalistas a fim de reforçar o intuito da Espanha de expandir seus investimentos naquela que é, em termos econômicos, a mais importante potência da América do Sul.

Flavio Maluf cita a opinião de especialistas: “Nós somos o segundo país, no mundo todo, que mais recebe investimentos espanhóis. A título de informação, vale destacar que, só no ano passado, fomos o destino de mais de 4 bilhões de euros (ou cerca de 13,6 bilhões de reais) provenientes de lá”.

E não é só: após cinco anos de estagnação, a economia da Espanha, maior país da Península Ibérica, parece começar, ainda que timidamente, a dar sinais de vida – a taxa estimada de elevação do Produto Interno Bruto espanhol ronda os 3,3%, por exemplo. Por conta dessa retomada e de eventos como, entre outros, as movimentações empreendidas no mercado pelo grupo Telefónica para a compra da GVT – a operadora de telecomunicações brasileira outrora pertencente ao grupo francês Vivendi – ou a vultuosa investida prometida pelo grupo Santander em sua tentativa de adquirir as operações brasileiras do banco HSBC, são boas as chances de 2015 fechar com um saldo ainda mais positivo do que o de 2014.

Outro fator que contribui para esse prognóstico otimista é o plano de concessões lançado pelo governo brasileiro, em junho deste ano, envolvendo projetos de construção de aeroportos, ferrovias, rodovias e portos, que certamente atrairá com a participação da iniciativa privada espanhola.

Segundo reporta Flavio Maluf, o Chanceler espanhol assegurou que o fato de o Brasil não ter apoiado a candidatura da Espanha para o Conselho de Segurança da ONU são águas passadas e que esse episódio diplomático não irá afetar a disposição dos espanhóis de investir no país. A maior preocupação do Ministro García Margallo, no momento, parece ser a demora na conclusão das negociações entre Mercosul e União Europeia, estacionadas há dois anos.

Leia também a reportagem, na íntegra:  O avanço da economia espanhola; Flavio Maluf noticia.